Feliz de quem pôde estar neste dia no estande da Honda no "Tokyo Motor Show" e testemunhar ao vivo e a cores a estreia mundial da Honda CB 750 Four, a mãe de todas as superbikes.

A moto que mundou o mundo

Description Image

Domingo, 26 de outubro de 1968. Feliz de quem pôde estar neste dia no estande da Honda no "Tokyo Motor Show" e testemunhar ao vivo e a cores a estreia mundial da Honda CB 750 Four, a mãe de todas as superbikes. Daquele momento em diante o mundo da motocicleta jamais seria o mesmo.

  • A Venda

    Vendo esta relíquia, com apenas 43 mil mi (69mil km), nunca restaurada, ela foi conservada nestes 45 anos.

  • Único Dono

    Sou praticamente o único dono, porque a comprei em 1980 com apenas 500 milhas rodadas, de um americano que a trouxe como bagagem de sua mudança para o Brasil em 1975, como negócio, para vende-la 5 anos depois, com isenção dos impostos.

  • Conservação

    Como sempre viajei muito para o exterior desde a década de 80, tive sempre a facilidade de comprar peças originais.

Ficha Técnica

Tecnologia

Alguns dos motivos de ter sido eleita a “Moto do Milênio”: 1ª moto grande com freio a disco na dianteira, com partida elétrica e que não vazava óleo no piso da garagem.

Geral

Marca :: Honda
Modelo :: CB 750 K4
Cilindrada :: 747 cm³
Origem :: Japão
Transmissão :: 5 Velocidades

Motor

747 cilindradas, SOHC (comando único no cabeçote), 4 tempos, 4 cil. em linha, transversal com 2 válvulas por cilindro e cárter seco, que rende 67 cavalos de potência à 8000rpm.

Performance

Aceleração 0 > 100Km/h :: 6 seg.
Potência Máxima :: 67 CV @ 8000rpm
Torque Máximo :: 6,1 Kgm @ 7000rpm
Velocidade Máxima :: ~190 Km/h

Capacidade

Tanque para 17 litros de combustível, com mais 5 litros de reserva, e motor com 3,5 litros de óleo.

Suspensão

Dianteira telescópica hidráulica com molas internas, tipo "Cerianni" e traseira com 2 amortecedores hidráulicos com regulagens.

4 Gerações

1

1982

Com as duas filhas mais velhas.

2

Anos 80

Logo que a comprei coloquei a descarga 4 em 1 e rodas Scorro.

3

Anos 90

Sempre foi mantida como original, exceto as rodas e descarga.

4

2019

Com a neta caçula, de volta com as rodas e descargas originais.

Números Impressionantes

45
anos de história
43.000
Milhas Originais
67
Cavalos de potência
750
Cilindradas

Detalhes que fazem a diferença

Painel

Instrumentos originais, mostradores nunca foram restaurados. Velocímetro em milhas, porque foi modelo exportado do Japão para os Estados Unidos.

Guidão

Totalmente original. Nunca foi cromado ou desmontado, com todas soldas da fiação originais.

Freio Dianteiro

Disco original, pastilhas trocadas somente 1 vez.

Suporte Capacete

Adesivo original, nunca retirado.

Lanterna Traseira

Original, Stanley.

Chassis e Banco

Conservados ao longo dos 45 anos.

Manutenção

Todo serviço mecânico sempre foi feito por experts neste tipo de moto, sempre com a minha presença, em tempo integral, sempre utilizando peças originais.

  • Óleo e filtro foram trocados nas décadas de 80 e 90 a cada 6 meses, e depois, com o progresso dos óleos, passei a trocá-los a cada ano.
  • Mesa de platinado trocada 1 vez.
  • Pastilhas dianteiras e lonas traseiras trocadas 1 vez.
  • Retentores de válvulas trocados 2 vezes, com juntas do cabeçote.
  • Coroa e pinhão trocados 1 vez.
  • "Uma máquina que causava espanto por onde passava, graças, principalmente, ao motor de quatro cilindros em linha, de 67 cavalos de potência, alimentados por quatro carburadores."

    Moto OnLine

Galeria de Histórias

Troquei as rodas pelas de alumínio da Scorro, logo que a comprei.

Toda alinhada, tudo conservado no lugar certo.

Etiqueta original, nunca retirada, no lado esquerdo da balança traseira, sobre cuidados com o escape. .

Tampas e emblemas laterais originais.

Toda alinhada, tudo conservado no lugar certo.

Descargas originais.

Tampas e emblemas laterais originais.

Chassis e banco conservados.

Instrumentos originais, nunca restaurados.

Motor com apenas 69 mil km rodados.

Cromados em excelente estado.

Descargas originais em excelente estado.

Para lama dianteiro e descargas originais.

Capa do banco em excelente estado.

Carburadores originais.

Rodas e descargas originais, excelente estado.

Manual do proprietário original, na embalagem original de plástico com ziper.

Shop Manual original (não existe mais na Honda), cobrindo da K zero até a K5, com os nrs dos chassis de todas, e respectivos suplementos, com as diferenças de cada modelo, com 223 páginas.

Tira de borracha, nova, para segurar a bateria.

Como praticamente não usei as rodas raiadas, são originais as tiras de borracha que protegem as camaras de ar dos raios.

Certificado de propriedade do Robert, datado 1974.

Recibo de compra datada 08/07/80.

Guia de importação, com despacho do fiscal feito à mão, liberando para venda com isenção de impostos, datado 11/05/80.

Guia de importação em nome do Robert, datada 24/07/75.

Curiosidades

7 Galo

O apelido da Honda 750 vem da combinação do nr 7 com o 50, que representa o galo, no jogo do bicho.

Modelos

Lançada em 1969 como CB750, evoluiu com o mesmo desenho de tanque e paralamas até o modelo K6. O modelo inicial passou a ser chamado K zero, mas não foi seu nome oficial.

Lubrificação da corrente

A partir do modelo K1 passou a existir um sistema de lubrificação da corrente, por meio de um sistema de coleta e ajuste de óleo, que passa por dentro do parafuso que segura o pinhão, permitindo que gotas de óleo do motor/cambio escorram pelo pinhão, até encontrar com a corrente.

Quantidade de Cilindros

O fascinio da Honda pelos motores multicilindricos começou nas pistas de corrida. A Honda 125 do inicio dos anos 60, com a qual Mike Hailwood foi campeão mundial, tinha 5 cilindros, tudo porque era menos problemático em termos de esforço das peças internas, ter varios cilindros “embrabados”, do que ter poucos cilindros, com a mesma cilindrada total, que necessitam ser submetidos a maiores movimentos, e esforços das peças.

Importação no Brasil

A Honda importou os modelos da CB750 até o modelo K3. A partir de 1975 foi proibida a importação de veiculos estrangeiros. Assim, todos modelos da CB750 a partir da K4 foram importados independentemente, e somente na condição de bagagem despachada de brasileiros residentes no exterior, ou de estrangeiros que vinham residir no Brasil, (é o caso desta K4), inclusive os diplomatas.

Isenção de Impostos

Como a importação só era permitida sob a condição de bagagem, o brasileiro ou estrangeiro não recolhia os impostos devidos, que ficavam suspensos durante 5 anos. Caso o veiculo fosse vendido antes de terminarem os 5 anos, os impostos deviam ser recolhidos proporcionalmente. P.ex., se o importador vendesse o veículo depois de 2,5 anos, era obrigado a recolher 50% dos impostos devidos na importação.

Você está pronto para fazer parte desta história?


+55 (71) 9 9982.8993
temacons@hotmail.com